Portal da Cirurgia Plástica - BG Cirurgua Plástica
Avenida Olegário Maciel, 414 / 303 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
21 2493-8206 -- 21 98555-3344

BLEFAROPLASTIA

PÁLPEBRAS
p1

AS 4 PÁLPEBRAS

bl1

BLEFAROPLASTIA

O termo blefaroplastia é usado para os procedimentos cirúrgicos de caráter estético e reparador realizados nas pálpebras.

bl2

Blefaroplastia vem do grego “blepharom”, que significa pálpebra e “plásticos”, que se traduz por moldagem. Desta forma Blefaroplastia é qualquer procedimento realizado para dar forma ou modificar a aparência das pálpebras. Sob o ponto de vista estético Blefaroplastia é a cirurgia que visa retirar o excesso de pele e eventuais bolsas de gordura situadas acima e/ou abaixo dos olhos, na região das pálpebras superiores e inferiores.

bl3

Por que fazer cirurgia plástica nas pálpebras?

bl4

Esteticamente falando é o excesso de pele e as bolsas palpebrais em evidencia o motivo mais comum entre as queixas dos pacientes.

bl5

A reparação tem a finalidade da recomposição anatômica, ou seja, tratar uma estrutura perdida, como nos casos de sequela de queimadura, ressecção de tumor ou outros acidentes. São várias as técnicas utilizadas e aplicadas, como os enxertos e os retalhos de tecido local.

 

bl6
Outras técnicas objetivam a reparação funcional, exemplo da correção de ptose palpebral, quando a pálpebra não consegue responder ao estímulo nervoso para abrir completamente os olhos; ou em casos de sequela de paralisia facial, entrópio, ectrópio, lagoftalmo, etc.

 

bl7

O que, Onde, Como, Quem?

  1. São quatro as pálpebras: duas superiores e duas inferiores; considerando-se os lados direito e esquerdo da face. A pálpebra possui estruturas muito delicadas: pele, bolsas de gordura, músculos, ligamentos, canal e glândula lacrimal e o tarso. Portanto, é preciso conhecer bem sua anatomia para se realizar uma cirurgia de pálpebra (blefaroplastia) e somente o Cirurgião Plástico com boa formação é que está habilitado para a realização das técnicas preconizadas.
  2. A incisão para a blefaroplastia na pálpebra superior é feita na sua dobra natural (sulco palpebral superior). Na pálpebra inferior a incisão pode ser feita próxima à linha dos cílios, para retirada de pele e bolsas ou por dentro da conjuntiva, sem corte externo, quando só houver excesso de bolsas de gordura; esta técnica é chamada de blefaroplastia transconjuntival.
  3. Levando em consideração as quatro pálpebras e as suas estruturas, a indicação da blefaroplastia estética poderá ser considerada total e completa, ou seja: a realização do procedimento nas quatro pálpebras, numericamente falando, e nas suas estruturas principais de rotina, isto é sobre a pele e as bolsas de gordura, ou parcial se apenas aplicada de forma incompleta.
  4. Poderá ainda ser acompanhada de outros procedimentos associados, como a cantopexia ou a cantoplastia, quando diagnosticada flacidez ligamentar e comprometimento do tarso com esclera aparente, ectrópio ou lagoftalmo.

A Blefaroplastia Não Corrige
bl8

As rugas de expressão periorbitárias, comumente chamadas de pés de galinha, acometem as pessoas de modo geral, sendo mais frequentes naquelas de mais idades ou naqueles que se expõem exageradamente ao sol. Estas são consequentes à ação natural da musculatura periorbitária sobre a pele. A cirurgia de bleforaplastia não corrige este tipo de sinal; sua correção ou controle pode ser clínico, pela aplicação de toxina botulínica. Também não corrige queda das bochechas ou região malar.

Expectativa

bl9

O objetivo desta cirurgia é a correção do excesso de pele e bolsas de gordura palpebral, levando em consideração a preservação da função de poder abrir e fechar o olho normalmente. Atenção para os diversos fatores envolvidos, como étnicos, familiares, anatômicos, que não mudam com a blefaroplastia.

BATE PRONTO

cr9

Tipo de anestesia: local e sedação ou geral.

Internação hospitalar: 24 a 48 horas.

Duração da cirurgia: 1 a 2 horas.

Recuperação: Em geral após um mês; o retorno às atividades profissionais e de trabalho varia de 7 a 15 dias de acordo com cada paciente.

Limitação: evitar exposição solar por 2 meses, exercícios físicos 1 a 2 meses e dirigir automóvel por 15 dias. Tudo isso varia de acordo com o paciente. As manchas de equimoses e o inchaço são comuns e a exposição social em público deve ser levada em consideração.

Lentes de Contatos: devem ser evitadas até que o processo de edema regrida, ou seja, em torno de 10 a 14 dias.

Óculos: os óculos de grau estão liberados e o uso de óculos escuros facilitam a manter a privacidade e proteção em via pública.

Maquiagem: devem ser evitadas até o processo de edema e de cicatrização estiver seguro, em torno de 30 dias de acordo com cada paciente.

Cílios postiços: devem ser evitados pelo mesmo motivo da maquiagem.

Leitura e televisão devem ser evitados nos primeiros dias de forma continuada.

Em casos de intercorrências ou dúvidas mantenha os seus cirurgiões informados.

Atenção: todo procedimento cirúrgico consiste em um trauma, que tem como uma de suas respostas à inflamação ou inchaço para os leigos; portanto, são comum que as regiões orbitárias operadas se apresentam sensíveis inchadas e com manchas de equimose avermelhadas. As suturas podem ser visualizadas e acompanham a técnica utilizada.

Retirada de pontos: os pontos de pálpebras são retirados entre 48 a 72 h.

Eventos indesejáveis: hemorragia, hematoma, infecção, deiscência (abertura de pontos), esclera aparente, retração, blefarite, ectrópio.