Avenida Olegário Maciel, 414 / 303 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
21 2493-8206 -- 21 98555-3344

DIA D NINFOPLASTIA

da1

n1
MANUAL

 PARTICULARIDADES

n2

CIRURGIA PLÁSTICA 

da3

NINFOPLASTIA

ANOTA AÍ!

da4

da5 Tenha suas expectativas dentro da normalidade, considerando as devidas limitações. Quem faz uma cirurgia plástica estética nos pequenos lábios vaginais em geral o faz porque deseja se livrar da hipertrofia de pele de natureza constitucional. Mas, a paciente candidata a esta cirurgia tem que levar em consideração as limitações relativas ao tratamento conjunto da hipertrofia de clitóris, que não poderá ser reduzido sob o fardo de perder a sensibilidade e o orgasmo, uma vez que sua ressecção levaria ao compromentimento da inervação local.

ab2
Após a intervenção cirúrgica a paciente deve se conscientizar do trauma sofrido e suas consequências. Aguardar com paciência a evolução dos fenômenos de reparação que estão acontecendo, como a inflamação, o inchaço, a cicatrização e outros que ocorrem de maneira natural como resposta do próprio organismo.

ab3
Sintomas como a vermelhidão ou roxidão da pele, edema, etc. aparecem pela simples ação do organismo conforme a intervenção realizada.


n4

Abstinência sexual +/- 35 dias após uma cicatrização bem segura e involuções de edema.


seta
A ferida operatória e a linha de sutura estão presentes no pós-operatório e na cirurgia plástica elas são posicionadas de maneiras estratégicas, seguindo as linhas de menor tensão da pele.

Você perceberá duas linhas  de sutura  na região dos pequenos lábios vaginais, em geral com pontos absorvíveis. Esta linha de sutura resultará a cicatriz final.

n5
A aparência da vulva e pequenos lábios pós-operados fica momentaneamente mudada pelo edema, equimoses e pela presença das suturas. As sensibilidades tátil e dolorosa também ficam alteradas; mas, retornam paulatinamente ao normal no decorrer da cicatrização.

n6
Você receberá alta médica hospitalar sem curativo, apenas utilizando absorvente íntimo para proteger a região operada e mantê-la seca. Este deverá ser trocado e a região higienizada com solução antisséptica quantas vezes for ao banheiro.

da10
Você paciente deve seguir e cumprir as orientações médicas fornecidas pelo seu cirurgião e somente por ele; não dê ouvidos a curiosos, nem automedique-se

da11 Diante de quaisquer intercorrências ou complicações,  as quais lhe foram referidas e constam escritas no Termo de Consentimento Informado sobre a cirurgia que você se submeteu, fale imediatamente com o cirurgião. Portanto, tão logo aparecem entre em contato com a equipe médica e com seus cirurgiões para que sejam tomadas as medidas necessárias. Normalmente todas as medidas preventivas para evitar intercorrências são tomadas ao longo de todo o processso cirúrgico.

da12
O repouso é fundamental para o seu pronto restabelecimento e sucesso da sua cirurgia.

 

da13
O paciente sempre se observa mais detalhadamente no pós-operatório; mas, lembre-se que neste período ocorrem inchaços e alterações locais na cirurgia. Lembre-se que todos nós somos assimétricos e durante a sua consulta estas observações normalmente são apontadas e observadas junto com você.


da14

Seria bom ter um acompanhante para tomar conta de você e auxiliá-lo nas pequenas tarefas de rotina


da17
 Não há restrição específica para alimentos que você tenha o costume normal de se alimentar; porém, dê preferência a alimentos na consistência líquida e pastosa. Mas, se você tem medo de ingerir algum alimento que acha “remoso” por alguma razão evite-os, da mesma forma evite alimentos que você é intolerante.

da18
Usar roupas confortáveis e de fácil vestir.


da19

O banho completo fica liberado, mas sugere-se que a higiene pessoal deva ser feita com auxílio de outra pessoa nos primeiros dias.

 

da20
Não dirigir automóvel, musculação, esportes, banhos de mar ou piscina por um mês.


da21

Evite exposição direta do rosto ao sol, use protetor solar por um período de +/- 30 dias.


da23

Evite exposição ao público para evitar traumatismos inesperados à região operada e para preservar sua privacidade.


da24
 O pós-operatório gira em torno de 4 a 8 semanas; mas alterações cicatriciais podem ocorrer em até um ano. É uma estimativa relativa, pois cada corpo funciona de um jeito, da mesma forma para a resposta da injúria sofrida, involução de edemas, equimose, cicatrização e reparação, todos estes fenômenos têm o seu tempo individual. E, no caso de intercorrências esta previsão muda e o tempo tem que ser recomeçado a partir do tratamento desta.

da26
A retirada de pontos é feita no consultório médico pelos cirurgiões que realizaram a cirurgia em tempo determinado e programado.


da27

Você, paciente, precisa obedecer e seguir as orientações médicas verbais e prescritas. Faça somente aquilo que os seus médicos cirurgiões lhe recomendarem. Nada de pomadinha daqui ou outras de curiosos. Da mesma forma siga apenas a prescrição médica tal com lhe foi passada pelos mesmos profissionais.


da28
 Você é o mais interessado para o sucesso da sua cirurgia; portanto tenha bom senso. Procure ter paciência de paciente, pois você acabou de fazer um procedimento cirúrgico e o organismo está sob o efeito do trauma cirúrgico sofrido e trabalhando para a sua defesa, reparação e cicatrização.


da29
As drenagens linfáticas são necessárias e importantes para a recuperação do paciente, redução de edemas, nodulações e fibrose. Este trabalho deverá ser feito por profissional “fisioterapeuta” competente. Indicamos a Carmely Bazani, profissional de nossa confiança e competência. Entre em contato com ela e agende a sua série. Fone (21) 9-9548-4280 ou (21) 7881-5842.