Portal da Cirurgia Plástica - BG Cirurgua Plástica
Avenida Olegário Maciel, 414 / 303 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
21 2493-8206 -- 21 98555-3344

ENXERTO

cr1

ENXERTO

O enxerto de tecido corresponde ao transplante em que é feita a retirada completa de uma parte de tecido de um leito chamado “doador” e transferido para outra área do corpo denominada “leito receptor”.  A natureza do enxerto poderá ser cutânea, cartilaginosa, óssea, etc.

ex1
Enxerto CUTÂNEO para revestir superfície da orelha RETROAURICULAR

ex2
Enxerto FÁSCIA TEMPORAL para restaurar o TÍMPANO

ex3
Enxerto CARTILAGEM COSTAL para restaurar ORELHA

Pelo fato de ser a pele o principal substrato de trabalho da cirurgia este tegumento é muito utilizado nas reparações por deficiência desta ou como revestimento de outra área de falta de algum tecido de proteção.

ex8

O tecido cartilaginoso é outra fonte doadora de enxerto muito utilizada na especialidade. Os enxertos cartilaginosos são muito úteis nas plásticas do nariz, tendo como principal área doadora o septo nasal e a cartilagem da concha auricular.

ex4

O enxerto é chamado de simples quando constituído de apenas um tipo de tecido; ou composto quando com mais de um tecido, como o dermocartilaginoso muito utilizado na reparação de asa narinária. Sua vascularização se dará a partir das bordas da lesão.

ex5

ex6

Outro importante tecido que serve como enxerto é o tecido adiposo, utilizado para as reparações de contorno corporal ou preenchimento de sulcos como o bigode chinês. Outras indicações: síndrome de Romberg ou hemiatrofia facial, hipoplasia mamária, etc.

ex7

Na utilização deste método há de se considerar o volume de gordura enxertado e a sua potencial reabsorção. É um procedimento de colocação seriada até que se consiga o resultado favorável de preenchimento desejado.

Outras matérias para enxerto são tecidos do tipo ósseo muito utilizado na ortopedia, bucomaxilofacial e ortodontia e usado na cirurgia plástica na reparação de deficiências graves do dorso nasal.

Para que a enxertia tenha sucesso é determinante que o tegumento seja da própria pessoa ou autoenxetia de tecidos viáveis e possíveis para tal procedimento.

O nosso organismo é resistente às substâncias não naturais ou “estranhas” e em geral esse tipo de material pode ser rejeitado e expulso.

BATE PRONTO
cr9

Tipo de anestesia: local e sedação ou geral, de acordo com localização, extensão e gravidade do caso e sua reparação.
Internação hospitalar: ambulatorial (Day clinic) ou com internação 24 horas.
Duração da cirurgia: Uma ou mais horas, de acordo com o procedimento a ser realizado e a reparação.
Recuperação: variável com a extensão e tipo de cirurgia reparadora realizada.

Limitação: Afastamento do trabalho, estudos, exercícios físicos por tempo variável com o caso, entre uma a quatro semanas. Evitar exposição solar por trinta dias.
Orientações Especiais: controle frequente pelo dermatologista e pelo oncologista no caso de tumores de pele; uso de bloqueador solar, compressão localizada com fita de silicone ou cremes.

Eventos indesejáveis: hematoma, infecção, deiscência (abertura de pontos), perda parcial ou total do enxerto, cicatriz inestética.