Portal da Cirurgia Plástica - BG Cirurgua Plástica
Avenida Olegário Maciel, 414 / 303 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
21 2493-8206 -- 21 98555-3344

LIFT MAMA MASTOPEXIA

MAMA

ma1

lif1

LIFT MAMA

lif2

MASTOPEXIA

  1. A mama é um órgão duplo aparentemente simétrico; contudo, geralmente uma das mamas é maior que a outra e apresenta implantação naturalmente mais baixa no tórax. Anatomicamente, fica situada entre a segunda e sexta costelas no tórax, revestida por pele e contendo basicamente tecido gorduroso e o complexo glandular mamário. A musculatura existente no tecido mamário está relacionada com o mamilo os ligamentos suspensores da mama ou ligamentos de Cooper, que são expansões fibrosas que se projetam da camada profunda à superficial na glândula mamária. Estes ligamentos conferem “mobilidade e sustentação à mama”. A musculatura peitoral que fica atrás da mama tem ação motora principal a movimentação do ombro. Outra relação que influi na aparência da mama é a sua relação com o tórax, ou seja, a integridade e forma do gradil costal.

lif3

2.Existe uma enorme variedade de tipos de mama com tamanhos e formas diferentes, às vezes na mesma pessoa, com suas simetrias e assimetrias, etc. Essa multiplicidade de apresentação ainda está relacionada com a idade, etnia, gravidez, ovulação, presença de implantes mamários, etc.

lif4

3. lif5Mulheres insatisfeitas por apresentarem mamas caídas em geral são as candidatas aos procedimentos cirúrgicos para levantamento das mamas ou mastopexia. Além da queda propriamente dita a maioria se queixa de falta de projeção e do colo vazio, peito murcho, ou ao contrário, muito volumoso, pesado e flácido. Mama caída é um processo que ocorre tanto nas mamas grandes quanto nas pequenas, necessitando de abordagem cirúrgica diferente para levantá-las conforme o caso. Mamas caídas também podem se apresentar ainda como mamas espalhadas e que vão para debaixo dos braços e assimétricas, que só se arrumam dentro de um sutiã.

lif6

4. Lift de Mama ou Mastopexia é o procedimento cirúrgico que visa levantar a mama através da ressecção do excesso de pele tipo, mantendo seu volume. Numa linguagem simples é como fazer uma pence na vertical bem no meio da mama, ou associando uma pence comais uma incisão na horizontal no sulco mamário equilibrando com a maior, menor ou nenhuma ressecção do estroma mamário.

lif7

A mama tem que ser levantada e arrumada

5. As técnicas cirúrgicas em vigência que abordam a mama esteticamente sempre levam em consideração a “pexia” ou “levantar” as mamas. A terminologia lift de mama ou mastopexia é o procedimento puro e simples realizado na mama sem nenhum uso de próteses; quando se utiliza prótese denomina-se mastopexia de aumento com próteses.

lif8

A técnica: Sutiã de Pele

lif9

Pexia = Pence

6.Além da ação cirúrgica de levantar as mamas a partir da ressecção de pele, o cirurgião tem que equilibrar o seu volume ou estroma mamário; por vezes podendo ser ou não necessária uma ressecção assimétrica para equilibrar os volumes das duas mamas; pois, geralmente são uma é maior que a outra e apresenta volume diferente.

lif10

7. A cicatriz resultante da mastopexia ou lift de mama está relacionada com a técnica empregada. Poderá haver uma cicatriz em volta da aréola ou não, na vertical no meio da mama ou em T invertido com uma cicatriz no sulco mamário. Nesta última situação a cicatriz poderá ser maior ou menor, dependendo da maior ou menor quantidade de pele retirada neste eixo.

 

BATE PRONTO

cr9

Tipo de anestesia: geral ou local e sedação.
Internação hospitalar: 24 a 48 horas.
Duração da cirurgia: 2 a 3 horas.
Recuperação: após a 4 a 6 semanas.

Limitação: evitar exposição solar, dirigir automóvel, carregar peso, serviços domésticos, praia, piscina e exercícios físicos nos primeiros dois meses após a cirurgia.

Orientações: alimentação livre, dormir de barriga para cima e com os braços relaxados ao longo do corpo; pentear os cabelos e escovar os dentes com cuidado e sem imprimir força; usar roupas de fácil vestir.

Em casos de intercorrências ou dúvidas mantenha os seus cirurgiões informados.

Sensibilidade: sofre alteração no primeiro mês, mas voltará ao normal gradualmente; a sensibilidade dolorosa no pós-operatório é compatível com a maior ou menor sensibilidade à dor da paciente; entretanto, costumamos monitorar nossas pacientes com analgésico, antiinflamatório e orientações médicas necessárias para o caso.

Sutiã: uso diário no pós-operatório, inclusive para dormir durante um mês. Encontra-se em lojas de produtos médicos um tipo de sutiã ideal para pós-cirurgia de mama e será indicado pelo cirurgião. Não pode ter armação de metal, enchimento, costuras endurecidas ou ser apertado. O ideal é que obtenha duas unidades para melhor higiene.

Amamentação: mantida a capacidade de lactação e amamentação.

Tipo de cicatriz: vertical, em T invertido e periareolar, conforme a técnica empregada.

Cigarro e Bebida Alcoólica: devem ser evitados; pois, comprometem o procedimento anestésico, a cicatrização, a recuperação cirúrgica.

Eventos indesejáveis ou complicações: hemorragia, hematoma, infecção, seroma, necrose de aréola, esteatonecrose, perda de sensibilidade, rejeição de pontos, deiscência (abertura de pontos), cicatrizes inestéticas.