Portal da Cirurgia Plástica - BG Cirurgua Plástica
Avenida Olegário Maciel, 414 / 303 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
21 2493-8206 -- 21 98555-3344

MEMBRO INFERIOR LIFT CRURAL

MEMBROS

culo1

MEMBRO INFERIOR

cru1

LIFT CRURAL

A idade mais avançada, fatores constitucionais e hereditários, obesidade, efeito sanfona propiciam o surgimento de flacidez na região cural, ou seja, na raiz da coxa, causando uma aparência inestética ao membro inferior. A maioria dos casos apresenta acúmulo de gordura associado; mas, há aqueles onde encontra-se somente excesso de pele.

cru2

Atualmente o culto ao corpo está sendo focado na hipertrofia muscular na gordura zero por uma boa parte das pessoas de ambos os sexos, que praticam exercícios pesados para as coxas, muitas vezes chegando exagero. Entretanto, não estão livres de adquirir flacidez cutânea na raiz da coxa, pois a pele não resite por muito tempo grandes distensões e com a idade e atrofia muscular poderá tornar-se flácida.

cru3

A cirurgia do lift crural trabalha sobre a flacidez de pele e acúmulo de gordura do terço superior interno da coxa, na raiz da coxa. A incisão de acesso ou cicatriz é posicionada na prega cutânea da virilha e terá extensão proporcional à ressecção do excedente de pele. Feita a lipoaspiração na face interna da coxa segue-se com uma incisão linear na virilha e depois com o descolamento cutâneo. A tração do retalho descolado é precisa e não pode ser exagerada, pois esta leva em conta apenas aquela região 1/3 superior interno da coxa, não levanta toda a coxa sob o risco de alargamento e descida da cicatriz.

cru4

A procura maior desta cirurgia é das mulheres, mas homens após grandes perdas de peso, após cirurgias bariátricas, por exemplo, passaram a procurar este procedimento cirúrgico para correção do excesso de pele na face interna das coxas.

cru5

Nos casos após grandes perdas ponderais a flacidez pode ser excessiva e comprometer toda a face interna da coxa, necessitando mais que somente do lift crural para a correção. Casos deste tipo precisam da associação de outra incisão além daquela feita na virilha que é uma incisão longitudinal na face interna da coxa partindo da virilha para baixo até próxima ao joelho.

cru6

 
Alerta-se que esta cirurgia não  atua sobre os músculos da coxa ficar mais fina, não faz ressecção muscular, somente retira excesso de pele e gordura localizada. Também não trata celulite, nem estica a coxa em toda a sua extensão, ou seja da raiz da coxa ao joelho, como muitas pacientes pensam e mostram esse desejo puxando suas pernas para cima com as mãos.

BATE PRONTO

cr9

Tipo de anestesia: raque, peridural ou geral.

Internação hospitalar: 24 a 48 horas.

Duração da cirurgia: 2 a 3 horas.

Recuperação: Em torno de 30 dias para o retorno às atividades profissionais e de trabalho.

Limitação: evitar exposição solar, exercícios físicos, esportes, serviços domésticos, piscina, praia e dirigir automóvel por dois meses.

Atenção: todo procedimento cirúrgico consiste em um trauma, que tem como uma de suas respostas a inflamação ou inchaço para os leigos; manchas de equimoses na pele e inchaço são comuns e a exposição social em público deve ser levada em consideração. Em caso de intercorrências ou dúvidas mantenha os seus cirurgiões informados. Higiene íntima após a cirurgia: usar solução antisséptica sempre que for ao banheiro.

Cinta-Calça: modeladora de suave compressão deverá ser usada entre 30 a 60 dias.

Cigarro e Bebida Alcoólica: devem ser evitados, pois comprometem a cicatrização, a recuperação, alteram o efeito da medicação e podem comprometer a anestesia.

Eventos indesejáveis: hemorragia, hematoma, infecção, necrose, rejeição de pontos, deiscência (abertura de pontos), cicatriz inestética.