Portal da Cirurgia Plástica - BG Cirurgua Plástica
Avenida Olegário Maciel, 414 / 303 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
21 2493-8206 -- 21 98555-3344

OTOPLASTIA CUP EAR

ORELHA

coloboma1

cup1

CUP EAR

Cup Ear, ao pé da letra, significa orelha de xícara e pode ser definida como um encapamento parcial de pele na curvatura superior da orelha, devido a uma redundância de pele que ocorre sobre a hélix. Associado a isso apresenta também falta de cartilagem e deformidade nesta região. Tem origem congênita, onde a orelha não está totalmente desenvolvida e falta cartilagem auricular no polo superior da orelha.

Avaliação Clínica: o diagnóstico é clínico pela observação e inspeção da deformidade da orelha “cup ear” no seu 1/3 superior. Pela palpação se constata a ausência da estrutura mais rígida cartilaginosa que está ausente e malformada nesta porção.

Cup Ear Bilateral

Pré Operatório & Pós Operatório

cup2
Observe redundância de tecido cutâneo mais largo e encapando a margem superior da hélix em ambas as orelhas.

Programação da Cirurgia:

  • Preencher a deficiência de cartilagem na hélix com enxerto de cartilagem oriundo da concha da própria orelha e readaptar o retalho de pele nova estrutura.
  • Primeiramente é feita uma incisão na margem interna e superior da hélix com descolamento da pele para conter o enxerto de cartilagem.
  • A seguir coloca-se o enxerto previamente obtido da concha auricular e moldado para a área receptora, levando em consideração a anatomia desta região.
  • Finaliza-se com a readaptação da pele e retirada e algum excesso existente (redundância).
  • Faz-se a sutura e curativo modelando as reentrâncias naturais.
  • É muito importante a hemostasia, pois desta forma evita-se hematoma, secreções e problemas.

cup3
Reparação com enxerto de concha para 1/3 superior da margem hélix

O curativo é muito importante em toda otoplastia e deve ser feito para o preenchimento das depressões e fossas do pavilhão auricular usando-se algodão úmido, gaze e crepom, a fim de evitar espaço morto e coleções de seroma ou hematomas. Curativo tipo Brown com pontos para manter a modelagem feita com algodão ou gaze úmida pode ser a escolha para mantê-lo mais estável.  Este curativo permanece durante 3 a 5 dias.

 

BATE PRONTO

cr9

Anestesia: Local ou local e Sedação.

Internação: Ambulatorial ou Day-Hospital.

Limitações: exercícios físicos, exposição ao sol, natação, capacete de moto, por um período médio de 30 dias. Usar faixa tipo tenista ou bailarina por 4 a 6 semanas, até que se complete pós-operatório com uma boa cicatrização.

Importante: respeite o repouso e obedeça as orientações médicas para o sucesso da sua cirurgia.

Intercorrência/Complicações: sangramento, hematoma, seroma, deiscência de sutura, infecção, condrite, necrose, cicatriz inestética.

Cigarro/Bebida alcoólica: devem ser evitados, pois comprometem a cicatrização, a recuperação e alteram o efeito da medicação.