Portal da Cirurgia Plástica - BG Cirurgua Plástica
Avenida Olegário Maciel, 414 / 303 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
21 2493-8206 -- 21 98555-3344

RINOSPETOPLASTIA

NARIZ

nz1

RINOSEPTOPLASTIA

rs1

O septo nasal é a estrutura anatômica osteocartilaginosa situada verticalmente e que divide o nariz em duas cavidades: fossas nasais direita e esquerda, integrando também o dorso nasal em conjunto como os ossos nasais. É considerado normal quando se apresenta como uma parede divisória reta. Porém, fatores constitucionais, anatômicos ou adquiridos podem torná-lo desviado ou torto em toda a sua extensão ou parcialmente, para direita ou para a esquerda, causando diferentes graus de obstrução nasal e prejuízo à função respiratória.

rs2

Os pacientes portadores de desvio de septo apresentam queixas comuns de obstrução nasal e nariz entupido, sinusites de repetição, respiração bucal e boca seca, ronco, apnéia do sono, etc. À inspeção visual o nariz poderá apresentar-se desviado ou não.

rs3

O desvio de septo nasal propriamente dito tem a sua origem estritamente no septo; já o rinodesvio (nariz desviado) apresenta desvio da pirâmide nasal além do desvio próprio do septo e poderá depender de outras alterações anatômicas regionais.

rs4

Em decorrência da aparência e da sintomatologia dos portadores de desvio de septo é muito comum a associação do especialista da cirurgia plástica e da otorrino para a realização conjunta da correção do desvio de septo, tratamento dos cornetos e sinus e rinoplastia com enxerto cartilaginoso para sustentação da ponta nasal. Nesta associação o otorrino faz a septoplastia e o cirurgião plástico a rinoplastia.

rs5

A BG compartilha com a cirurgia de otorrino a execução da Rinoseptoplastia. A cirurgia inicia com o trabalho da otorrino, quando é feita a septoplastia e a seguir é complementada pela cirurgia plástica para os ajuste de harmonia da pirâmide nasal e sustentação da ponta nasal.

rs6


BATE PRONTO

cr9

Tipo de anestesia: geral.
Internação hospitalar: 24 a 48 horas.
Idade para operar: a partir dos 17 anos. A partir dos 60 anos de idade os ossos nasais apresentam maior fragilidade, o que pode dificultar a recuperação dessas estruturas em caso de fratura.
Duração da cirurgia: 2 a 3 horas
Tamponamento Nasal: o paciente sai da sala de cirurgia com splint intranasal e tampão de gaze no nariz, mas sua respiração se restabelece naturalmente pela boca. A permanência desse tampão de gaze varia de 24 a 72 horas, de acordo com o caso. O tampão é retirado pelo cirurgião.
Recuperação: 4 a 6 semanas.
Cicatrização: após 6 meses e completa-se com 1 ano.
Curativo: o paciente usará o curativo de micropore e aquaplast por 7 dias e depois somente de micropore por uma semana. A retirada de pontos é a partir do sétimo dia, seguida da retirada do splint de proteção para o septo.
Sensibilidade: sofre alteração inicial, o nariz ficará endurecido, mas voltará ao normal gradualmente.
Limitação: exposição solar, dirigir automóvel, esporte e exercícios físicos no primeiro mês.
Óculos e Lentes de Contato: os óculos deverão ser evitados nos primeiros quinze dias e depois usá-lo de maneira intermitente. As lentes deverão ser retiradas para a cirurgia e só poderão retorna após o 5º ou 7º dia de acordo com o edema.
Redução do inchaço (edema): é gradativo e varia com a pessoa; média de 3 semanas a 3 meses.
OBSERVAÇÕES: podem surgir manchas de equimose (arroxeadas ou amarelo-esverdeada) na região palpebral, com tendência a desaparecer em torno de 15 a 30 dias (caráter individual).

Cigarro e Bebida Alcoólica: devem ser evitados, pois comprometem o procedimento anestésico, a cicatrização, a recuperação.

Eventos indesejáveis: hemorragia, hematoma, infecção, necrose mucosa, sinéquias, fratura em galho verde.